sexta-feira, 4 de maio de 2012

FAMÍLIA AOS PÉS DA CRUZ

   Família é planejamento de Deus e se mantém
 como célula balizadora da Sociedade. 

   Já se diz que uma igreja sólida reflete, também,
  a solidez das famílias que a constituem.

    A temática deste mês é a família. Nossa oração a Deus é que nossas famílias estejam aos pés da cruz de Jesus Cristo. A cada semana abordaremos uma faixa da membresia familiar, sem perder de vista o foco da família como um todo.

    Começaremos com nossas crianças – CRIANÇAS AOS PÉS DA CRUZ – que nos são dadas como herança do Senhor (Salmos 127.3).

    Deus recomenda em Provérbios 22.6 como deve ser a instrução dos filhos na tenra idade, com a subseqüente promessa de que esses filhos serão mantidos no caminho do Senhor até o momento em que decidirão por conta própria o seu futuro.

   Uma das maiores tristezas dos pais crentes – que tiveram oportunidade de criar seus filhos na igreja – é ver suas crianças, já grandes, no mundo. Pais que, com toda sinceridade, dizem não entender onde erraram (se é que erraram). Muitos não conseguem explicar porque seus filhos estão no “mundo”.

     À guisa de orientação, abordaremos duas situações problemas para as quais todos os pais deveriam atentar:

     1ª) A “substituição” do ensino na igreja (EBD e culto coletivo, especialmente, aos Domingos) pela cama, casa, compras, clube, praia, sítio, passeio etc. A desculpa “bem intencionada” passa pela necessidade de um  tempo para/com a família. Como de 2ª a sábado o trabalho, a viagem, a escola etc. “não permitem” a diversão familiar, pais se valem do Dia do Senhor para juntar a família dentro de seu próprio núcleo. Domingo é o único dia que se pode dormir até mais tarde etc... etc...

     Amados, que ninguém se iluda. Nossas crianças são eminentemente sociais e se não fizerem amizade na igreja a farão no mundo, substituindo a igreja pelas diferentes "tribos". A “feitura de amigos” fora da igreja costuma ser um sério problema (I Cor. 15.33).

    2ª) O descuido dos pais com o testemunho diante dos filhos. É preciso ganhar os filhos em casa pelo testemunho e aproveitar o aprendizado advindo da igreja de Cristo. Os pais, sob nenhuma circunstância, devem expor os irmãos em Cristo – nas questões das divergências de idéias – diante de seus filhos que ainda não têm o discernimento para compreender a bênção que é a igreja onde “tantos desiguais almejam serem um em Cristo, sem perder as suas individualidades”.  Crianças não entendem, mas guardam o que ouvem e mais tarde tendem a se decepcionar com a igreja e com o Cristo vividos pelos pais.

    Oremos ao Senhor, diariamente, por nossas crianças, colocando-as (conosco) diante da cruz de Cristo, para que nunca sejamos "instrumentos irresponsáveis" na troca de "alhos por bugalhos" na vida de nossas crianças. Clamemos ao Deus da misericórdia a manifestação de sua graça para que nossas “crianças” que estão fora possam retornar aos pés da cruz, de onde nunca deveriam ter saído. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário